Governo volta atrás e autoriza o comércio em Ciudad del Este


- Por: Redação 1

Governo volta atrás e autoriza o comércio em Ciudad del Este
Manifestantes entraram em confronto com as forças policiais contra a quarentena total em Ciudad del Este

A noite de quarta-feira e a manhã de quinta-feira (29 e 30 de julho, respectivamente), ficaram marcadas por tensão e confrontos nos arredores da aduana da Ponte Internacional da Amizade, em Ciudad del Este, na fronteira do Paraguai com o Brasil. Moradores e comerciantes se mobilizaram para protestar contra o decreto retornando a fase 0 da quarentena inteligente, devido ao avanço de casos de Covid-19, infecção do novo Coronavírus.

A mobilização teve início no final da tarde de quarta, com concentração no micro-centro comercial de Ciudad del Este em frente à loja Monalisa (rotunda). As forças policiais reagiram com bombas de efeito moral e tiros de borracha próximo à aduana. Os manifestantes passaram a atacar lojas e caminhões com cargas, que estavam em fila esperando autorização para cruzar a fronteira em direção à Foz do Iguaçu.

De acordo com a imprensa local, aproximadamente 60 pessoas acabaram detidas durante e após as depredações. Pelo menos dois policiais ficaram feridos nos confrontos. Dezenas de caminhões tiveram os vidros e para-brisas quebrados, alguns foram incendiados pelos manifestantes.

Epicentro

O Departamento de Alto Paraná é um dos principais focos da doença do novo Coronavírus no Paraguai, com aproximadamente 40% dos 4.866 casos de todo país. Sua capital, Ciudad del Este, concentra 80% registrados na região, segundo informações do Ministério da Saúde. 

Além do cancelamento da quarentena total, os manifestantes cobraram a abertura da fronteira, fechada em 18 de março como estratégia do governo do presidente Mario Abdo Benitez, de conter a entrada e avanço do novo Coronavírus no país. Marito tem dito que só irá autorizar a reabertura após reduzir o número de casos no Brasil.

Flexibilização

Na tarde desta quinta-feira, após o encontro entre representantes do governo federal e autoridades de Alto Paraná, o Ministério da Saúde autorizou a operação das lojas por 12 horas diárias (das 5h às 17h), com algumas exceções, durante a inversão de fases nessa região do país.

O governador de Alto Paraná, Roberto González Vaesken, informou que durante a reunião a operação da maioria dos negócios na área foi acordada, sob rigorosas medidas sanitárias.
Ao Última Hora, González Vaesken comentou que o horário de funcionamento das lojas será neste horário de segunda a sexta-feira e das 05h00 às 16h00, aos sábados, durante o período de inversão de fases. Posteriormente, as restrições da quarentena total serão aplicadas.

Ronildo Pimentel

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas