Aquário gigante


- Por: Redação 1

Aquário gigante
Aquário gigante


Realizar um grande aquário das espécies nativas sempre foi o sonho de muitos biólogos. Em geral, conhecemos os peixes dos nossos rios apenas na mesa, na hora de comer e se demorar, não haverá sobreviventes para embelezar o empreendimento. Muitas espécies estão em extinção, porque foram predadas dede os tempos da colonização. Nem a piracema alivia a situação. 

Mais atrativos
Ao escrever uma lista de atrativos, deduzimos que Foz está se tornando um vasto parque de entretenimentos, para todos os gostos e idades, com atrativos culturais, naturais, tecnológicos, astronômicos, lições de como lidar com a natureza, por meio da interferência consciente do homem. Calculando o tempo de visitação, os novos investimentos estão cada vez mais aumentando o tempo de permanência dos turistas. Lá pelos anos 80, em três dias já era difícil contemplar tudo. Hoje, o mínimo é cinco dias e mesmo assim algo fica de fora da relação. 

Eficiência
Os órgãos de repressão ao contrabando estão desempenhando acima da média. O problema é saber o tamanho da demanda dos contrabandistas e traficantes. Um aumento de 92% na apreensão de agrotóxicos é um número expressivo. Contaram para o Corvo, que há várias investigações chegando até os compradores dos produtos agrícolas ilegais. 

UDC
Belíssimo trabalho de desenvolvimento intelectual regional, proposto pela UDC. É nisso que resulta o aprimoramento por meio do acesso ao estudo acadêmico. Cidades próximas mantinham linhas de transporte de universitários e pensa a vida de alguém de deslocando todos os dias de Medianeira, Matelândia, Céu Azul, para cursar a faculdade. A UDC encurtou a distância e a satisfação pode ser medida pelos depoimentos dos gestores das grandes cooperativas. Fora isso, um dia o Corvo vai discernir melhor a aproximação com grandes universidades, de outros países. Aqui vai um abração para a professora Rosicler Hauagge do Prado e ao Dr. Fábio. O Corvo lembra, e muito bem, quando tudo começou, na casinha onde foi instalado o primeiro Xodó. 

Diferença imperceptível
Olhando para a encrenca dos preços dos combustíveis, dá para ter uma dimensão, no tamanho da bola dividida que o general Silva e Luna foi entrar. Tomara ele encontre fórmulas de aliviar o bolso dos consumidores quando chegarem aos postos de gasolina. O corte na incidência de impostos não dei para o cheiro, até porque houve outro aumento. Pensar em pagar R$ 5,60 num litro de gasolina, causa arrepio na coluna. 

E como?
De que maneira baixar os preços dos combustíveis, se isso depende de toda uma competição mundial? Haja lábia e cabeça para esquentar os miolos! O mercado é voraz e reduções de preços, ao que entendemos, desvaloriza as ações da Petrobrás e esculhamba o mercado de investimentos. Se correm o bicho pega, se ficar...

Movimentos
Claro, o governo deve se preparar para os movimentos nas estradas. Caminhoneiros não estão nada felizes, pelo contrário, pintaram as caras com as cores de guerra. Isso vai desencadear desabastecimento, falta de produtos básicos, não bastasse o medão da pandemia. Que situação hein?

Brasil Venezuela
Paulo Guedes mandou ver no discurso, disse que o Brasil vai virar primeiro uma Argentina e depois, uma Venezuela. Pensa? Ruim seria ele incluir o Haiti nas previsões. E alguém não acredita que o Haiti, já não é aqui, em muitas localidades?

Tirando pé da jaca
Paulo Guedes parece dar pintas que voltará para a iniciativa privada, se é que ela contratará economistas depois do colapso que se anuncia em algumas instituições bancárias. Reduzir impostos dos combustíveis e sobretaxar bancos, dá no mesmo que jogar o custo no lombo dos correntistas. Pisar na jaca é fácil; tirar o pé se gosma, é difícil. O encolhimento do PIB, com o maior recuo em 30 anos, é uma situação cheia de reflexos. 

Qual receita
Num campo minado desses, precisamos arranjar um Diógenes com lanterna boa, para encontrar receitas viáveis e verdadeiras, honestas, de recuperar o Brasil sem causar tanto sofrimento.   

Compra de vacinas
Os prefeitos e governadores estão discutindo um jeito de encontrar vacinas, e comprá-las, sem que depois, sejam inseridas na conta do Plano Nacional de Vacinação. O Corvo explica: o governo federal está encontrando muitas dificuldades na aquisição de imunizantes e isso vai das relações diplomáticas à falta dos produtos, logo, ficará de olho nos negócios paralelos, como fez em São Paulo. 

Mico
O Corvo deu uma avoada nos veículos em vários países e as notícias do Brasil não são as melhores. Autoridades mundiais na área da saúde caem de pau na maneira que o país está enfrentando a pandemia. É triste ler. 

Em Foz
Alguns médicos que atuam a linha de frente estão de bico virado com colegas que pregam descrédito na vacinação. Alguém andou espalhando que idosos estão morrendo depois da vacina e segundo disseram a este colunista, o assunto deve chegar no Ministério Público.

Investigação
Há a informação que muitos casos de furação de fila estão sendo investigados em Foz. Impressionante como isso ainda não vazou e responsáveis não foram apontados, ou envolvidos diretamente em escândalos. 

Fakes
Circularam informações com datas para a vacinação de idosos e segundo a prefeitura nada disso é real. Como em todo o Brasil, está difícil organizar a imunização sem as doses necessárias. Tem um povinho que adora notícia falsa. 

Porto Seco
Corvo, eu li o pedido de desculpas publicado em sua coluna, e francamente, considerei desnecessário. Vocês apenas exerceram o jornalismo, e graças à informação, com dados velhos ou não, soubemos o que acontece hoje. Não houve um desserviço, apenas exigiu que algumas pessoas se desdobrassem na atualização dos fatos. Sabemos que estão trabalhando duro para a mudança do Porto Seco e isso é o que interessa. Onde será afinal Corvo? Já sabe, com exatidão?
Francisco Paula F. Rodriguez

O Corvo responde: prezado, ao que sabemos, o local não foi decidido. Mas há uma preocupação em encontrar a área certa, porque a localização precisa atender propostas de futuro, com o incremento da ligação oceânica, entre Atlântico e Pacífico, ou Paranaguá e Antofagasta, no Chile. No mais, com uma visão assim, devemos pensar nas modalidades, ou os acessos rodoviários, ferroviários, hidroviários e isso também coloca no projeto a localização dos aeroportos. É muita coisa, e com vastidão de estudos e complexidades. Sobre o jornal, é preciso se desculpar, quando as notícias confundem os leitores. 

Sem saída
As notícias de superlotação nas UTIs, ainda não usam as palavras “colapso total”. Isso deve acontecer nos próximos dias, ou horas. A fila está devagar mas anda, ou em razão de óbitos, ou de pessoas que deixam as UTIs. Mas a demanda de casos, dá a impressão que o sistema poderá travar, por não dar conta de tantos doentes em fase crítica. Mesmo assim, há pessoas sem máscara pela cidade e zombando da pandemia, afirmando que isso é treta política. Quanta ignorância!   

Protesto
O Corvo ficou monitorando o protesto ocorrido em frente à prefeitura de Foz na manhã de ontem e nem havia tanta gente. Pelas imagens, deu para contar umas duzentas pessoas, isso lá pelas 11 horas, no pico. Se aumentou ou diminuiu em outros horários, o Corvo não apurou. Alguns “organizadores” se disseram decepcionados com a falta de adesão. Comerciantes e comerciários fizeram parte da manifestação.
 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas