Fundação PTI terá suporte de Itaipu para atingir sustentabilidade financeira


- Por: Redação 1

Fundação PTI terá suporte de Itaipu para atingir sustentabilidade financeira
A diretoria da Fundação PTI recebe o DGB, general Ferreira

A Itaipu dará o suporte necessário para que a Fundação Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) consiga executar, em boas condições e dentro do prazo, o seu plano de sustentabilidade, deixando de depender do aporte financeiro da binacional. A afirmação é do diretor-geral brasileiro, general João Francisco Ferreira, que visitou o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) na última sexta-feira (16), no final da série de encontros do DGB às fundações vinculadas à Itaipu.
Ferreira elogiou a opção acertada de seu antecessor, general Joaquim Silva e Luna, que, ao adotar uma política de sustentabilidade na Itaipu, orientou as fundações que seguissem a mesma ideia. “É evidente essa guinada no direcionamento do PTI, que está respondendo de maneira altamente proativa às orientações, buscando não só a sustentabilidade, mas também divulgando o conhecimento produzido e contribuindo com a Itaipu”, afirmou o general Ferreira.
Em 2021, o aporte da Itaipu foi de 27% do orçamento do PTI, valor que já foi muito maior no passado. O plano de sustentabilidade do Parque se baseia em dez pontos prioritários e tem como premissas manter o atendimento às necessidades da Itaipu e das instituições parceiras, além de atrair empresas âncoras e projetos que tenham viabilidade mercado, apoiar a retomada do turismo da binacional, entre outras.
O diretor-superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, apresentou a fundação criada em 2005 para gerir o PTI, que foi criado em 2003. O espaço abriga 50 salas de aula, 60 laboratórios e, antes da pandemia da covid-19, tinha a circulação diária de mais de sete mil pessoas. “Desde a criação do Parque, temos trabalhado para oferecer soluções às demandas de Itaipu. O que temos agora é procurado levar essas soluções desenvolvidas pelo PTI para o mercado”, disse Garrido. 
Segundo ele, em 2019, o PTI revisou o planejamento estratégico, definindo sua atuação como Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT). A nova orientação reduziu o escopo de atuação do PTI, priorizando projetos de engenharia e de pesquisa e desenvolvimento com o suporte da educação e focando em quatro áreas temáticas: agronegócios, energias, segurança de infraestruturas críticas e turismo e cidades.

Imprensa de Itaipu

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas