Restrições de atividades na pandemia serão debatidas em audiência pública


- Por: Redação 1

Restrições de atividades na pandemia serão debatidas em audiência pública
Ney Patrício  pediu audiência pública para debater as restrições de atividades durante a pandemia

O Presidente da Câmara de Foz do Iguaçu, vereador Ney Patrício (PSD), apresentou nesta terça-feira (08) um requerimento para realização de Audiência Pública para debater as restrições de atividades durante a pandemia. A proposição, aprovada por unanimidade, trata também da elaboração de um plano de atendimento para os profissionais e empresários que manifestam e exploram atividades econômicas individuais e coletivas no município. 
A abertura do debate desses assuntos com a sociedade é justificada pelo Presidente da Câmara em razão da pandemia ter atingido diretamente a economia de Foz do Iguaçu, com o agravante dos efeitos ainda mais impactantes no turismo. “É um debate de extrema importância para toda a comunidade porque a pandemia atingiu diretamente a economia e o sustento de muitos trabalhadores”, disse Ney Patrício.
O vereador ressaltou que audiências públicas não são realizadas apenas para assuntos que envolvam recursos públicos, mas sim, são imprescindíveis no processo de elaboração de políticas públicas e suas respostas a população. As constantes medidas de fechamento do comércio e outras atividades precisam ser debatidas com a sociedade em razão desses efeitos na economia. Com a aprovação do requerimento, será definida data para a audiência.

Pedido de vacinação em massa

Na sessão desta terça-feira, 8, o Presidente da Câmara também requereu ao Poder Executivo informações sobre o estudo para imunização em massa e testes de eficácia de vacinas. O interesse é saber se a Prefeitura Municipal mantém estudos sobre a imunização em massa, adotada pelo Ministério da Saúde para testar a eficácia de imunizantes contra cepas do coronavírus. 
“Estamos em uma cidade fronteiriça e com população flutuante. Foz do Iguaçu é referência regional para oito municípios e, portanto, pode ser o ambiente ideal para a pesquisa que deverá avaliar exatamente qual é a efetividade das vacinas com relação a casos graves, internação, necessidade de ventilação mecânica e óbitos”, comentou Ney Patrício.

Elson Marques/EMS - Editores

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas